• PORQUE EXCELÊNCIA NÃO TEM LIMITES

    Elaboramos de forma integrada diversas disciplinas de sistemas prediais.    
1
/
3
/

Nós somos

A soma de experiências visa a aprimorar ainda mais a qualidade dos serviços oferecidos aos clientes e ampliar nossa capacidade competitiva.

BIM

Utilizamos o Building Information Modeling, ou BIM. Com ele o planejamento de construção,o orçamento e gerenciamento da obra são otimizados.

Engenharia Integrada

Conseguimos integrar todas as diversas disciplinas que desempenhamos. Assim o projeto nasce totalmente compatibilizado, sendo mais assertivo

Visão Ampla

Por integrar diversos sistemas, possuímos uma visão holística e sistemática do projeto. Assim sabemos e garantimos como ele deve transcorrer.

Sistemas Sustentáveis

Criamos projetos voltados a sustentabilidade, que diminuem gastos desnecessários e reutilizam água e energia para novos fins.

Outras disciplinas veja

E mais de 10 outras disciplinas.

0Clientes
0Projetos Elaborados
0Estados Atendidos

Nossa Equipe

Em constante aprimoramento, eles participam de treinamentos, palestras, seminários e congressos, a fim de garantir a qualidade, confiabilidade e atualização dos serviços da empresa

Leia mais

NOSSOS CLIENTES

Mais do que uma simples prestação serviço, desenvolvemos verdadeiras parcerias com aqueles que confiam a nós seus projetos. Essas relações são pautadas em compromisso, respeito e qualidade, e por isso se mantêm durante anos.
Conheça alguns de nossos parceiros:

Algumas Novidades

Empresas que usam softwares originais: por que contratar?

maio 30, 2017
Você contrata apenas empresas que usam softwares originais para desenvolver projetos de instalações prediais? Se você nunca parou para pensar nesta pergunta, vale a pena ler esse post! Na área da construção civil, os softwares mais eficientes são pagos, e deles depende uma grande e importante parte do nosso trabalho em projetos para sistemas prediais. Ao mesmo tempo, comprar softwares e adquirir licenças pode ser um dos maiores gastos de uma organização. Por isso, e, principalmente em um cenário de recessão, como o que vivemos atualmente, muitas empresas da construção civil decidem economizar trabalhando com softwares piratas. Mas esse risco vale a pena? A resposta é simples: não! A pirataria aparentemente é uma solução barata, mas seus riscos podem sair bem caros. Entre eles estão ataques de malware, indenizações e até mesmo prisão. No entanto, apesar de todas estas questões, quase metade dos softwares utilizados por empresas no Brasil são não-licenciados. Hoje, reunimos 6 motivos importantes para convencê-lo a investir em empresas que usam softwares originais, favorecendo a integridade na construção civil. Conheça os motivos que listamos para você! Afinal, por que contratar empresas que usam softwares originais? Para evitar que seus projetos em desenvolvimento sejam alvo de crimes virtuais O uso de softwares piratas facilita os crimes virtuais. Você sabia que a pirataria de softwares muitas vezes é utilizada por criminosos virtuais para espalhar malwares? Comprometendo a segurança dos PCs, os softwares piratas podem gerar a perda de dados, roubos de identidade, fraudes e invasões. De acordo com um estudo encomendado pela Microsoft à consultoria IDC e à Universidade Nacional de Singapura, 47% dos computadores brasileiros com softwares piratas analisados estavam pré-infectados. Ou seja, há grandes chances da empresa que usa softwares piratas também passar por esse risco – afetando assim o desenvolvimento do seu projeto. Com os danos decorrentes dessas infecções, o estudo previu também que só em 2014 os brasileiros gastariam cerca de US$ 700 milhões e 44,2 milhões de horas para resolver problemas causados por infecções de vírus em softwares piratas. Muito tempo e muito dinheiro. Você acha que vale a pena essa contratação? Além disso, a reprodução e cópia de softwares é considerada crime e a fiscalização dessas ações tem aumentado. Dessa forma, os prejuízos podem ir muito além de ataques de vírus. Ao usar softwares sem licença, a empresa contratada pode obter detenção de 6 meses a 2 anos, além de grandes multas. Certifique-se da segurança de seus dados e projetos Na construção civil, em que trabalhamos com centenas de projetos, modelos e dados integrados, contratar empresas que usam softwares originais é ter uma atitude responsável com sua própria empresa e com todo o mercado. Mais do que gastar dinheiro, os softwares pagos garantem a proteção da integridade dos sistemas de informatização. Afinal, os dados e projetos são imprescindíveis para manter a produtividade das empresas na construção civil. E não queremos ter retrabalhos, receber projetos com atraso ou ser decepcionados, certo? Conte com o suporte da desenvolvedora do software Problemas e falhas são comuns

NBR 15.575: o guia definitivo

maio 2, 2017
Entender a NBR 15.575/2013 pode até parecer difícil, mas adequar-se a ela é mais simples do que parece. A norma pode ser tratada como um grande guia para a construção civil, ajudando o setor a garantir a padronização. Você conhece os benefícios da NBR? O conjunto normativo deve auxiliar todo o mercado da construção civil e sua cadeia produtiva. A longo prazo, a norma dará início a uma mudança de cultura na engenharia. Com isso, é prevista extrema melhoria na qualidade das habitações brasileiras. As mudanças decorrentes da Norma geram dúvidas aos profissionais da área. Pensando nisso, apresentamos um guia definitivo que deixará mais clara a aplicação da NBR 15.575 no seu dia a dia. Se você é um fornecedor, projetista, construtor ou usuário, esse guia será muito útil! Entenda já a NBR 15.575/2013 É importante saber que a Norma de Desempenho é diferente de outras normas da construção civil. Aquelas são prescritivas, focadas em dados e critérios quantitativos para produtos e procedimentos em especiais. Já a NBR não é somente uma norma quantitativa, mas qualitativa. A NBR 15.575 diz respeito ao funcionamento de sistemas prediais por completos, determinando as necessidades do usuário no edifício todo. Por isso, vale muita atenção às exigências estabelecidas pela Norma. Além de seus critérios, a organização do conjunto normativo e suas formas de verificação devem ser estudadas e analisadas atentamente. Se você ainda tem dúvidas sobre como é organizada a Norma de Desempenho, agora é hora de resolvê-las! Como a Norma é dividida? A NBR 15.575/2013 foi elaborada em 6 partes distintas. Cada uma delas é organizada por elementos da construção. Cada parte explica e auxilia sobre as disciplinas específicas, como um suporte para a tomada de decisões corretas. Conheça os requisitos e disciplinas que cada uma das 6 partes da Norma de Desempenho tratam:   Parte 1: Requisitos gerais;   Parte 2: Requisitos para os sistemas estruturais;   Parte 3: Requisitos para os sistemas de pisos;   Parte 4: Requisitos para os sistemas de vedações verticais internas e externas;   Parte 5: Requisitos para os sistemas de coberturas;   Parte 6: Requisitos para os sistemas hidrossanitários. Todos requisitos devem promover segurança, habitabilidade e sustentabilidade aos usuários. Assim, os sistemas prediais devem seguir critérios particulares a fim de promover esses tópicos. A estrutura do conjunto normativo A Norma é estruturada a partir de três elementos: Requisitos de Desempenho, Critérios de Desempenho e seus respectivos Métodos de Avaliação. Juntos, esses três elementos buscam garantir o Desempenho de edificações habitacionais. Entenda a função de cada elemento: Requisitos de desempenho qualitativos Referem-se às condições de implantação e exposição da edificação. Além disso, os requisitos qualitativos também incluem as exigências dos usuários. Critérios quantitativos São definidos para atender os requisitos de desempenho qualitativos, mencionados acima. Métodos de avaliação É a forma de avaliação dos critérios da NBR. Esses métodos envolvem análises de projeto, ensaios laboratoriais, protótipos e simulações computacionais. Atenda aos requisitos da Norma A NBR é uma regulação técnica e jurídica para a construção civil brasileira. Por

Tendências sustentáveis para a Engenharia e Arquitetura

abril 3, 2017
Com o objetivo de evitar prejuízos ao meio ambiente, são criadas, constantemente, novas tendências sustentáveis nas áreas da engenharia e arquitetura. Esse mercado, que cresce rapidamente, vem sendo estimulado pela necessidade de adequação ambiental, além da busca pela mudança nos padrões de consumo e produção da humanidade. A cada ano mais presente no canteiro de obras, as tendências sustentáveis trazem diversas vantagens, como diminuição de custos com energia, reaproveitamento e diminuição do desperdício de água, melhora da operação e manutenção predial, englobando milhares estratégias para tornar as áreas urbanas mais sustentáveis. Responsável pelo fortalecimento de soluções e tendências sustentáveis para a sociedade, a construção civil se mostra proativa. Assim, cada vez se propõe mais investimento em tecnologia e inovação. Hoje, apresentamos algumas dessas novidades. Conheça algumas tendências sustentáveis para a construção civil Da projeção à execução do projeto, as tendências sustentáveis podem ser aplicadas em todo o processo construtivo. Isso porque, atualmente, boa parte das principais inovações da indústria da construção envolvem soluções sustentáveis. Ligadas na maioria das vezes em elementos como economia de água, energia e materiais, as tendências sustentáveis promovem diversas mudanças em todo o sistema construtivo. Confira algumas delas, que devem contribuir com o direcionamento de práticas para uma construção mais sustentável: Automação Predial A automação e supervisão predial é uma tendência sustentável envolta por muita idealização. Isso porque muitos imaginam, pensando em filmes futurísticos, que a automação predial é proposta a partir de casas inteligentes nas quais é possível acender luzes ou abrir janelas batendo palmas ou através de controles remotos. Esta tendência vai muito além disso e mostra como estamos conectados através de ferramentas, sistemas e gadgets tecnológicos que podem nos ajudar a economizar energia e água, por exemplo. Há grandes possibilidades de automação, indo além de elementos básicos como luzes e janelas, mas também englobando áreas comuns, portões, sistemas de telefonia, halls. Novas propostas de automação são criadas constantemente e, assim, cada vez mais é possível associar essa tendência a diversos elementos de um sistema predial como, por exemplo, a otimização dos gastos de energia. Materiais de construção ecológicos A construção civil demanda anualmente de 4 a 7 toneladas de material por habitante. Esse número mostra como o mau uso desses recursos pode trazer grandes impactos ambientais. Com os diversos materiais inovadores com princípios sustentáveis, pode-se fazer escolhas inteligentes que reduzam esses impactos. Esses materiais passaram a se desenvolver mais graças às técnicas digitais de produção, como as impressoras 3D. Além desses materiais, novos biomateriais são empregados, desenvolvendo opções de materiais até mesmo com algas e fungos. Tais inovações envolvem também combinações atualizadas de produtos já existentes. A “madeira laminada e colada” para edifícios com paredes e pisos estruturais de madeira, e os concretos de resistência ultraelevada são outros exemplos disso. Indo mais além, existem ainda soluções que envolvem “materiais de gradação funcional”, os “bioinspirados”, isso sem mencionar os vidros e concretos autolimpantes, superfícies frias duráveis e centenas de outras opções. Como analisar a grande quantidade de opções? Considerando a abrangência das opções sustentáveis

Empreendimentos verdes tornam-se mais necessários – Diário do Comércio

março 23, 2017
No Brasil, cerca de 40% de toda água tratada é desperdiçada. O dia 22 de março foi proclamado em 1992, pela Organização das Nações Unidas (ONU), como o Dia Mundial da Água. Nesses 25 anos, a engenharia e a arquitetura têm se esforçado para criar soluções que privilegiem o consumo responsável e favoreçam o reúso desse recurso natural tão valioso e cada vez mais raro. Cabe aos profissionais de planejamento e construção não apenas indicar e projetar soluções, como, em muitos casos, apresentar e convencer clientes sejam pessoas físicas ou jurídicas da necessidade da construção de empreendimentos cada vez mais responsáveis ambientalmente e, assim, mais sustentáveis. De acordo com o diretor comercial da Projelet Ecom, Bruno Marciano, a economia de água é um dos pilares de uma construção responsável, junto com o uso racional da energia e destinação de resíduos. A Projelet Ecom, sediada na região Centro-Sul, é especializada em sistemas prediais, o que inclui o sistema hidráulico. “O básico que se pode usar são os dispositivos redutores de consumo, como bacias acopladas e torneiras com controle de vazão. É possível fazer projetos mais completos, de acordo com as características de cada empreendimento, com a reutilização de água e uso das águas pluviais. A engenharia faz um esforço grande, por meio das empresas sérias, para que haja uma redução do consumo, mas isso ainda é pouco diante do que é gasto principalmente pela agropecuária”, explica Marciano. Dados do relatório do Ministério das Cidades mostram que no Brasil aproximadamente 41% de toda água tratada é desperdiçada. De acordo com os dados do Sistema Nacional de Informações Sobre Saneamento (Snis) em 2015, o índice nacional de perda de água na distribuição é de 36,7%. Em 2011, era de 38,8% o que significa uma evolução muito lenta para diminuir o desperdício no país, de apenas 2,1 pontos percentuais em quatro anos. Ainda assim, o engenheiro se mostra otimista. “Precisamos de uma expansão de consciência mais global. Devemos trabalhar com a perspectiva da escassez para garantir a abundância. Estamos caminhando para um mercado cada vez mais exigente. As construtoras já perceberam que ao apresentarem soluções sustentáveis agregam valor aos empreendimentos. Do outro lado, as soluções também têm ficado mais baratas e o retorno do investimento através da economia de recursos mais rápida”, destaca o diretor comercial da Projelet Ecom. Sustentabilidade Considerado um dos empreendimentos verdes mais importantesde Belo Horizonte, o Edifício Aureliano Chaves, sede da Fundação Forluminas de Seguridade Social (Forluz), no bairro de Lourdes, região Centro-Sul, foi inaugurado em 2014. Atualmente, o prédio abriga 1.600 colaboradores da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e recebe cerca de 300 visitantes por dia. Segundo a coordenadora de Projetos do Edifício Forluz, Marisa Costa Duarte Lanna, desde o início da construção, a Forluz recebe a visita de estudantes e profissionais interessados em aprender sobre construções sustentáveis. “Eles têm interesse em todos os sistemas que utilizamos, especialmente no que diz respeito à água. A ocupação do prédio começou recentemente e existe todo um trabalho de apresentação para

A conta do desperdício – Estado de Minas

março 23, 2017
Cerca de 40% de toda a água tratada no Brasil é perdida. Uso racional é um dos principais focos na engenharia de projetos hidráulicos e sanitários   Ontem foi comemorado o Dia Mundial da Água, evento instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) para comemorar e realizar atividades de reflexão sobre o significado da água para a vida na Terra. A data traz à tona debates sobre o uso inteligente dos recursos hídricos. Com um cenário de crise, o uso racional da água é um dos principais focos na engenharia de projetos hidráulicos e sanitários, Para se ter uma ideia, o Brasil se destaca mundialmente pela fartura de seus recursos hídricos, pois é detentor de 12% do total de água doce da superfície do planeta. O país tem o Rio Amazonas, o maior em volume de água, além de um dos principais aquíferos subterrâneos e com um alto índice de chuva em seu território. Porém, mesmo com esse potencial, nota-se que falta consciência sobre a importância da preservação dos recursos por grande parte da população. De acordo com o relatório do Ministério das Cidades, o Brasil também chama a atenção pelo desperdício de água: aproximadamente, 41% de toda a água tratada é desperdiçada. Bruno Marciano, diretor comercial da Projelet ECOM, empresa de projetos de instalações de sistemas prediais, alerta que a conscientização deve ser geral e não somente nas práticas do dia a dia. Ele conta que um estudo do Instituto Trata Brasil mostra que quase 40% da água tratada no país é perdida por causa de vazamentos nas tubulações, ligações clandestinas e erros de medição. De acordo com os dados do Sistema Nacional de Informações Sobre Saneamento (SNIS) em 2015, que são os mais recentes e foram divulgados em janeiro deste ano, o índice nacional de perda de água na distribuição é de 36,7%. Em 2011, era de 38,8% –o que significa uma evolução muito lenta para diminuir o desperdício no país, de apenas 2,1 pontos percentuais em quatro anos. Para o executivo, a necessidade do uso sensato de água estimula cada vez mais o mercado de projetos a desenvolver mecanismos que evitam excessos e gastos desnecessários. “O cuidado com a água é necessário, mas será que tudo é visível aos nossos olhos? Será que o problema não está no reservatório, no percurso até chegar em nossa casa ou no encanamento? E mesmo que não possamos comparar o nosso uso diário com as indústrias, o que pode ser feito?”, questiona o diretor comercial da Projelet ECOM, Bruno Marciano comemora o fato de ver o grande número de companhias que hoje se preocupam com o meio ambiente. “Muitas pessoas procuram a Projelet ECOM justamente por oferecer disciplinas que visam à economia de água, energia e outras que diminuam o impacto no meio ambiente. É tendência, e nós como profissionais temos que nos preparar para as tendências e necessidades do nosso planeta”, conclui o executivo. Não podemos esquecer que, nas últimas décadas, o consumo de água cresceu duas vezes mais do

Com a palavra o cliente

“Durante alguns anos a PHV Engenharia buscou , entre vários projetistas do mercado, alguém que pudesse ser um parceiro confiável e pró-ativo. A empresa Projelet ECOM provou que pode ser essa colaboradora, atendendo totalmente nossas expectativas, com soluções que otimizam as obras, proporcionando qualidade, rapidez, economia e clareza de entendimento em seus projetos”.

Rogério Martins Pinto
Rogério Martins Pinto, PHV Engenharia

Trabalhamos com a Projelet há alguns anos por ser exemplos de parceiros e por termos total confiança técnica na empresa

Anna Cristina
Anna Cristina, Direcional Engenharia

Somos parceiros e clientes da Projelet Ecom há bastante tempo e sempre fomos contemplados com Projetos do mais alto nível e com soluções técnicas adequadas. É uma Empresa que tem uma equipe técnica competente, sempre atenta às inovações e as Normas vigentes e com expertise em todas as disciplinas que compõe um bom projeto e com Desempenho superior.

Cantidio Alvim Drumond
Cantidio Alvim Drumond, Construtora Castor Ltda

O trabalho feito pela Projelet ECOM é de extrema competência, especialmente por aliar o dinamismo e a experiência, características marcantes de sua equipe. Sua postura progressiva em relação à tecnologia, a busca constante pela atualização frente às normas e legislações, além do profundo conhecimento do mercado, são uma garantia a mais para desenvolvermos boas ideias e alcançar excelentes resultados em termos de projeto para diversos tipos de empreendimento. Quando atuamos em projetos nos quais a Projelet ECOM está envolvida, sentimos extrema segurança pelo empenho de seus profissionais, sempre dispostos a auxiliar e contribuir com seu conhecimento.

Bernardo dos Mares Guia Farkasvölgyi
Bernardo dos Mares Guia Farkasvölgyi, FarKasVolGyi Arquitetura

Posso dizer que o atendimento da Projelet ECOM tem superado nossas expectativas, com uma equipe qualificada tecnicamente, sempre buscando as melhores soluções e benefícios para os empreendimentos, além de um tratamento muito amigável, o que facilita o andamento dos projetos e das obras.

Jairo Dias
Jairo Dias, Diretor da Epo Engenharia